Área Restrita
 
 
Rua Morvan Dias de Figueiredo, n 11 - Centro - Bicas - CEP: 36600-000
E-mail: ciesp@powerline.com.br
Telefones: (32) 3271-2999 / (32) 3271-4796
 
PÁGINA INICIAL QUEM SOMOS MUNICÍPIOS CONSORCIADOS LICITAçÃΜES FALE CONOSCO
 

Especialidades / Exames e Procedimentos / Exames Auditivos

Para a identificação de qualquer alteração auditiva utilizamos alguns exames auditivos que tem como finalidade a avaliação funcional da audição como forma de identificar qualquer tipo ou grau de perda auditiva. A avaliação auditiva pode ser realizada através de exames subjetivos e objetivos.

 



Especificações Técnicas:

EXAMES DISPONÍVEIS:

AUDIOMETRIA TONAL: dura aproximadamente 30 minutos e visa avaliar a função auditiva do paciente (inclusive crianças em idade pré-escolar) através da obtenção de limiares auditivos, estabelecendo o mínimo de intensidade de estímulos sonoros que o indivíduo percebe e avaliando o tipo e grau da perda auditiva.


AUDIOMETRIA VOCAL:  audiometria vocal é um exame de rotina da prática clínica, sendo complementar da audiometria tonal. A audiometria tonal fornece apenas os limiares absolutos de perceção de sons puros (função periférica), enquanto a audiometria vocal determina a compreensão da linguagem (inteligibilidade) e a discriminação (capacidade de discernir os fonemas), testando os sistemas periférico (cóclea) e central (via e centros auditivos). Este exame desempenha um papel fundamental no diagnóstico de determinadas patologias retrococleares (Tumores do acústico, neuropatia/dissincronia auditiva) e na indicação de próteses auditivas.

 
IMITANCIOMETRIA: neste exame, uma pequena sonda é posicionada, de forma indolor, na entrada do conduto auditivo externo do paciente. Dois tipos de testes são realizados : A Timpanometria, que avalia a complacência da orelha média, ou seja, a condutância sonora das estruturas das orelhas externa e média, e o Reflexo Estapédico, que avalia a integridade do arco reflexo estapediano e, por conseqüência, de forma indireta, as estruturas das orelhas média e interna, nervo auditivo e tronco cerebral. É de extrema utilidade para o diagnóstico das otites catarrais crônicas em crianças.
 
PROCESSAMENTO AUDITIVO: estes testes audiométricos avaliam, também de forma subjetiva, o processamento da informação sonora pelo Sistema Nervoso Central. É realizado em cabines acusticamente isoladas por otorrinolaringologistas ou fonoaudiólogas. Trata-se do que há de mais moderno em avaliação subjetiva da audição, em que os sons são oferecidos ao paciente através de fones de ouvido de forma competitiva, ou seja, diferentes sons em cada uma das orelhas, sendo observada a capacidade do paciente distinguir isoladamente cada um destes sons. É um exame indolor,gerando informações importantes para o tratamento dos distúrbios de processamento auditivo central.

TESTE DA ORELHINHA: é um exame simples para saber se está tudo bem com a audição do seu filho. Um aparelho eletrônico com fone é colocado no ouvido do bebê, o que permite ao médico ou fonoaudiólogo verificar se a criança ouve normalmente. O exame não tem contraindicações e pode ser feito com o bebê dormindo. Recomenda-se que o teste seja feito no primeiro mês de vida, todos os bebês devem passar pelo exame.

 BERA: esse teste é objetivo (não depende da resposta do paciente) e avalia a integridade funcional das vias auditivas nervosas (nervo auditivo) desde a orelha interna até o córtex cerebral. O exame é indolor e não invasivo.



Atendimento em:

 
 
 
QUEM SOMOS
 
História
Equipe
Conselho
MUNICÍPIOS
 
Listagem completa
Cadastre-se
Legislação
ESPECIALIDADES
 
Ver todas
Por município
Dúvidas
FALE CONOSCO
 
Envie um e-mail
(32) 3271-2999
Pontos de apoio
© 2013 | Direitos reservados